Escolha uma Página

Assim como o sangue é vital para o corpo humano, o óleo lubrificante é importante para o bom funcionamento do automóvel. No entanto, muitas pessoas têm dúvidas a respeito do óleo ideal para o seu veículo. Porém, para ajudá-las é necessário que você aprenda quais os tipos de óleos que existem e escolha aquele que é o mais indicado para o modelo do automóvel.

Mas como aprender tudo isso? Neste post, vamos falar um pouco sobre o óleo lubrificante. Além de conhecer os óleos, você vai saber qual é a importância de acertar na escolha do lubrificante e o que levar em conta na hora de escolher o óleo ideal para o seu veículo e do seu cliente e para quais motores eles servem. Pois então, quer  ficar bem informado sobre tudo isso? Leia com muita atenção o nosso artigo!

Quais os tipos de óleos que existem?

Óleo mineral

Este tipo de óleo é produzido a partir da combinação de óleos minerais básicos que são obtidos pelo processo de refino do petróleo e aditivos. O óleo lubrificante mineral é considerado o mais comum do mercado. Ele é utilizado desde os primórdios da evolução dos motores a gasolina e a diesel tem várias características, como:

  • Tem menor durabilidade, o que faz com que sua troca seja mais frequente;
  • É indicado para os motores mais antigos.

Óleo sintético

O óleo lubrificante sintético é produzido a partir de uma combinação de óleos básicos sintéticos e aditivos. Ele é um lubrificante fabricado por um processo moderno e por isso, tem características mais robustas que os óleos minerais. Este óleo é indicado para veículos que têm condições severas de uso e que circulam no trânsito das grandes cidades. É a melhor opção custo x benefício para os motores modernos que rodam as ruas e as estradas do país.

O óleo sintético tem mais durabilidade e pode substituir os óleos minerais e semissintéticos. Ele é ideal para os carros com motores modernos, pois gera economia de combustíveis (se forem de baixa viscosidade).

Óleo Semissintético

Já o óleo lubrificante semissintético é elaborado por aditivos e pela mistura proporcional de óleos minerais e sintéticos. Este tipo de óleo reúne as melhores propriedades de cada tipo e barateia o custo. Esta categoria é indicada para os motores que existem no mercado. Além disso, o óleo lubrificante semissintético tem várias características como você pode ver a seguir:

Possui preço intermediário;

  • Tem boa relação custo x benefício;
  • Tem durabilidade intermediária entre os óleos minerais e sintéticos;
  • Gera uma economia de combustíveis (se forem de baixa viscosidade).

Qual é a importância de acertar no óleo lubrificante?

Escolher para o seu automóvel ou saber indicar para seu cliente o óleo lubrificante ideal é garantir que o carro fique com o motor protegido e tenha uma boa fluidez do funcionamento do conjunto. Isso porque o óleo é responsável pela formação de uma película de lubrificante entre as paredes do cilindro e os pistões do propulsor.

Essa película impede o contato metal com metal das peças e evita que o propulsor tenha uma temperatura elevada e ocasione um fenômeno chamado de gripagem (quando duas peças móveis se agarram).

Em resumo, escolher um bom óleo é garantir que as peças internas do automóvel sejam lubrificadas e assim diminuam o atrito, evitando o desgaste excessivo. O óleo lubrificante também garante a boa temperatura das peças e elimina as impurezas como as possíveis partículas geradas na combustão.

Essas partículas acumulam e formam uma crosta capaz de prejudicar o funcionamento e impedir que o lubrificante seja extraído e elementos externos adentrem no conjunto das peças contaminando-as.

Como escolher o óleo ideal?

Verifique o manual do proprietário

Todo veículo possui um manual do proprietário. Nele, vem escrito tudo que precisa saber a respeito da manutenção, como por exemplo, da troca de óleo. No manual, você encontra qual é o tipo de óleo indicado para aquele modelo de automóvel. Você poderá ver se o óleo lubrificante é sintético, semissintético ou mineral.

É importante saber que cada óleo lubrificante têm uma formulação diferente conforme cada motor. Outra informação é que você só deve completar ou trocar o óleo com o mesmo tipo indicado. Portanto, nada de fazer testes com o carro, ok? Se está recomendado um óleo específico é porque foram muitos anos de estudos nas montadoras para encontrar o lubrificante certo e assim melhorar o desempenho do motor.

Observe a viscosidade

Cada óleo lubrificante tem suas especificações em relação à viscosidade e o seu desempenho. A viscosidade, por exemplo, aparece junto à uma sigla conhecida como SAE e vem acompanha de números e da letra “W”. Exemplo: SAE 5W-30.

Já o desempenho é mostrado pelas siglas API (SN, SM, SJ…) ou ACEA (A3-02, A3-08…). Essas informações aparecem no rótulo da embalagem do lubrificante, e é importante você seguir essas recomendações para que o automóvel do seu cliente continue com um bom desempenho

Diferencie o óleo para moto x óleo para automóvel

Leia o rótulo do óleo lubrificante e veja para quê ele é indicado. Jamais use óleo de moto no automóvel. Além disso ser desleal com seu cliente, você irá danificar o motor do veículo. O óleo de moto tem composições diferentes e são testados de maneira diferente. Também nunca coloque no motor do automóvel os óleos que são feitos para caixa de câmbio do veículo.

Fique atento ao óleo indicado

Se o cliente chegar em sua loja de automóveis, oficina mecânica ou auto center afirmando que pode usar qualquer óleo, desconfie! Os óleos lubrificantes são desenvolvidos e testados para cada tipo de motor. O uso do lubrificante errado provoca desgaste nas peças, aquecimento, sujeira e consumo excessivo de combustível.

Prefira óleos aditivados

Os óleos aditivados são os indicados para os automóveis. Por isso, não coloque aditivos quando trocar o óleo do veículo do seu cliente. Isso pode até alterar o funcionamento do motor.

Quais os óleos certos para cada tipo de motor?

Motores rodados

Os automóveis rodados têm um desgaste maior no motor, certo? Por esse motivo, eles também têm algumas folgas. Entretanto, isso não está relacionado à idade do veículo, mas ao histórico de manutenção. Também existe o óleo lubrificante automotivo para os veículos que têm ruídos. O ruído é um sinal de desgaste. Nesse caso, você deve escolher o lubrificante com maior viscosidade, mais espesso e que preencha essas folgas.

Motores flex

Para os automóveis com motores flex há óleos específicos. Esse tipo de óleo lubrificante protege o motor da água que se forma com o uso do etanol. Essa água pode corroer o metal e por isso, o lubrificante deve se misturar a ela. Para saber qual é o óleo ideal para os motores flex, veja as classificações atuais e o manual do automóvel.

Motores antigos

Já os motores mais antigos não têm um bom acabamento quanto aos motores atuais. Além disso, as folgas são maiores e por isso eles pedem óleos mais espessos. Fora a viscosidade, que do ponto de vista tecnológico, a especificação mais moderna do óleo lubrificante atende as anteriores.

Agora que você conhece os tipos de óleo lubrificante, sabe qual é o melhor para o seu veículo e do seu cliente, não é verdade? Pois então, na próxima troca de óleo, indique aquele que garantirá a saúde do automóvel!

Gostou do nosso post? Acesse o nosso próximo artigo e aprenda a verificar se o carro precisa trocar o óleo!