Escolha uma Página

Os carros estão cada vez mais modernos. Isso porque a indústria automobilística investe pesado nas inovações tecnológicas. Entre essas inovações está o controle de estabilidade. Ele é considerado a maior inovação nos itens de segurança desde o cinto de segurança. O controle de estabilidade também previne acidentes, antes mesmo que seja necessário o acionamento dos airbags dos automóveis.

No entanto, se você deseja saber realmente como funciona esse controle para poder explicar para os clientes da sua loja de automóveis, auto center ou oficina mecânica, preste atenção neste post. Aqui, preparamos um artigo com informações que vão servir para você tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. Quer aprender um pouco mais? Pois então, acompanhe a leitura!

O que é controle de estabilidade?

Antes de explicar como funciona o controle de estabilidade, você precisa entender o que é isso para poder informar ao seu cliente. O controle de estabilidade também é conhecido pela sigla inglesa ESC que significa eletronic stability control ou ESP que quer dizer eletronic stability program. Ele é uma tecnologia que surgiu nos anos 90.

Em outras palavras, trata-se de um sistema eletrônico que corrige a trajetória do automóvel no momento que ele faz curvas ou desvios bruscos de trajetória. A curiosidade em relação a esse sistema é que ele é obrigatório nos países europeus. Só para você ter ideia, estudos do Instituto de Segurança Viária dos Estados Unidos apontam uma redução de 43% nos acidentes fatais e redução de 83% no índice de capotamento por causa do controle de estabilidade.

Como o sistema funciona?

O ESC processa informações de sensores nas rodas e direção do automóvel. Ele é um componente eletrônico, um computador que calcula se o veículo está em vias de perder sua estabilidade. Os módulos variam de acordo com o tamanho e a especificidade de cada carro. Portanto, quanto maior e mais complexo for o veículo do seu cliente, maiores e mais específicos serão os sistemas ESC.

O sistema detecta se a direção em que o veículo está seguindo corresponde com o movimento que o motorista faz. Caso o motorista vire o volante para um lado e o carro se movimenta para o outro, o controle de estabilidade entra em ação. Esse processo é feito por meio da leitura da velocidade das rodas, da inclinação da direção e do sensor de guinada que é uma espécie de pêndulo que serve para calcular o movimento lateral do veículo.

Assim, o sistema calcula se o movimento feito pelo carro realmente corresponde ao ideal para ter estabilidade. Caso seu cliente precise fazer uma curva inesperada, como por exemplo, desviar de um buraco ou de algum obstáculo, ou qualquer situação em que a trajetória do veículo precisa ser mudada de maneira muito abrupta, as rodas estarão em velocidades que o sistema reconhece como perigosas, e automaticamente o ESC deixará o carro em controle, freando as rodas separadamente para que o veículo não perca a estabilidade.

Por que o veículo deve ter esse tipo de controle?

De certa forma é possível controlar o automóvel de modo manual, ou seja, no “braço”. No entanto, isso é perigoso e é preciso treinamento e muita prática. É melhor deixar para os profissionais como os pilotos de fórmula 1, por exemplo. Além disso, por mais experiente que seu cliente seja, um erro humano tem mais probabilidade de acontecer.

Às vezes, quem está dirigindo tem pouco tempo ou quase nenhum para tomar uma decisão no momento do perigo. E quando isso acontece, não há tempo de agir, mesmo para os motoristas e os pilotos que são mais experientes e treinados. É por isso que é sempre melhor contar com um sistema eletrônico. Ele consegue agir de maneira mais rápida e precisa. Só para você ter ideia, os sensores são ligados em várias partes do carro. Logo, a capacidade de retomar o controle também é maior.

Um fato interessante de citar sobre a importância do controle de estabilidade é o que aconteceu na Austrália. Por lá, concluiu-se que o sistema reduz em 25% os acidentes que não envolvem mais de um carro. O número sobe para 51% considerando os acidentes que envolvem apenas um carro e com ferimentos para o condutor do automóvel. Isso mostra que o sistema é eficiente à medida que as circunstâncias oferecem riscos.

Além disso, a implementação do sistema nos veículos garante atenção adicional para o freio ABS e o sistema de controle de tração. Embora nem todo veículo que possui ABS e controle de tração tem o controle de estabilidade, todo carro com o sistema ESC precisa destes dois itens. Por isso, o controle de estabilidade estimula o desenvolvimento de carros com melhores equipamentos e mais seguros.

Como saber se o carro tem o controle de estabilidade?

Nos automóveis há um botão com um desenho de um carro em uma pista que mostra que o veículo tem o controle de estabilidade. O botão pode ser ligado e desligado. No entanto, o recomendado é não desativar o botão, já que acidentes não “avisam” quando vão acontecer, não é verdade? Portanto, oriente seu cliente para que ele fique com este botão sempre ativado.

Outra forma de identificar se o carro tem o controle de estabilidade é consultar o manual ou a ficha técnica do veículo. No manual, o item costuma ser representado como ESC, siga em inglês.

Pode instalar o ESC no automóvel?

O sistema de controle de estabilidade tem vários componentes. Por isso, não é possível comprar um sistema que seja universal e instalar no carro do seu cliente. Esse sistema tem que vir de fábrica. Por esse motivo, as montadoras no Brasil seguem a tendência internacional e, portanto, é provável que este sistema seja um item obrigatório em todos os veículos novos, assim como hoje é o freio ABS.

Quais automóveis mais baratos do Brasil têm controle de estabilidade?

Só para você matar a curiosidade, saiba que no Brasil o carro mais popular que já vem  com o controle de estabilidade de fábrica é o Ford KA. Porém, normalmente, este item só é encontrado em automóveis um pouco mais caros. Em seguida vem o Fiat Uno na versão de entrada Drive, com motor 1.0 litro flex de três cilindros. Como opcional, o veículo vem com um kit Tech, que inclui controle eletrônico de estabilidade, controle de tração, assistente de partida em rampas, retrovisores externos elétricos.

Outro carro mais barato e com controle de estabilidade é o Volkswagen Polo. Ele pode receber um kit que inclui controles de estabilidade e tração, bloqueio eletrônico do diferencial, computador de bordo e assistente de partida em rampas. Também tem o Ford Fiesta SE Style que possui controle de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas e outros itens que fazem a cabeça de qualquer um que gosta de automóveis.

Viu como o controle de estabilidade é importante? Agora que você já sabe como este sistema funciona, ficará ainda mais fácil orientar seu cliente, não é verdade? Caso você deseje ficar mais informado sobre as novidades do mundo automotivo, continue com a gente aqui no blog. Sempre trazemos dicas para ajudá-lo com seus clientes!

Gostou do nosso conteúdo? Quer ler mais algumas dicas sobre automóveis e ficar bem informado sobre o assunto? Acesse o nosso próximo post e aprenda como cuidar das rodas do carro!